Opinião: Você jamais estará completamente satisfeito

(Tempo de Leitura: 3 minutos)

O que são remakes?

São jogos que foram refeitos! Normalmente com uma direção de arte diferente, normalmente com gráficos melhores, mas nada é uma norma. Gráficos melhores são apenas um reflexo do fluxo normal do tempo.

Muitas pessoas estão insatisfeitas, dizendo que BDSP não está o que elas imaginavam e coisa do tipo. Dá para se dizer que, talvez, o problema tenha sido elas terem tempo demais para imaginar. Mas a raiz mesmo é, você jamais estará completamente satisfeito!

Nem mesmo o diretor de um jogo estará completamente satisfeito quando o mesmo estiver pronto, a imagem que ele tinha daquilo não será 100% colocada em prática, seja por incapacidade técnica, por excesso de complexidade, por falta de verba, etc.

Alguns comparam com o último remake, ORAS, dizendo que aquele foi perfeito. Mas o engraçado é que, muitas das pessoas do lançamento de ORAS até o anúncio de BDSP também adoravam lembrar as “falhas” de ORAS (aspas necessárias).

Não tem customização de personagens!
Ninguém jamais te prometeu que os remakes adicionariam isso!
Não tem batalha da fronteira!
Game Freak é preguiçosa, fazer o que!
O jogo não tem 3D no mundo, mesmo sendo no 3DS!
Game Freak é incapaz, fazer o que!
O jogo tem absurdas quedas de FPS, olha como esse jogo X roda bem no 3DS e ORAS não!
Game Freak é incapaz, fazer o que!

E não perderei tempo citando cada uma, resumamos como a IGN, tem água demais.

A Game Freak é incapaz, é um estúdio preso no passado, é gananciosa.

A GF nunca foi uma power house de jogos, eles não têm um time gigantesco (por mais que pudessem). A quantidade de dinheiro que cai no colo da Game Freak todo ano, possibilitaria que eles se tornassem tão grandes quanto a Square Enix, tão capazes quanto a Compile Heart, mas não interessa a eles. Eles têm a galinha dos ovos de ouro, e isso não mudará tão cedo. E eles sabem disso! E são gananciosos! Pokémon poderia estar usando motores grandes para facilitar a vida da equipe que desenvolve os jogos, para tirar todo o problema do “como fazer” e simplesmente deixar o “fazer”, mas todos eles têm algo em comum… royalties. A Game Freak não quer partilhar os lucros com alguém, em prol de usar ferramentas melhores, em prol de fazer jogos melhores, de Pokémon no caso. Afinal, eles não têm nada contra se for um jogo que não tem garantia de vendas como GIGA WRECKER.

Imagino que, mesmo que Pokémon sumisse hoje, a família Tajiri estaria feita por pelo menos 3 gerações. Não tem outra explicação para a falta de investimento na melhoria da franquia, que não o chefe da coisa toda estar brincando de Tio Patinhas.

Remakes não precisam ser o ultra mega power máximo do gráfico que você pode ter atualmente (Mega Man Powered Up é uma prova viva disso, Mystery Dungeon DX também é prova, no caso, que mesmo gráficos bons e outra empresa o fazendo podem fazer dele um terror), eles precisam propiciar a novas pessoas, que não querem comprar um Nintendo DS usado, que não querem pagar uma fortuna num novo, que não querem caçar cartuchos e que não querem usar emuladores, a chance de jogar esses jogos e se divertirem como você se divertiu. Adições serão feitas? Sim! Coisas serão retiradas? Sim! Não tem como nada ser perfeito.

A verdade é, você deveria estar muito grato que a ILCA esteja fazendo esses jogos, eles são bem mais capazes que a Game Freak, e isso dando certo, a própria Game Freak se verá numa situação onde, ou melhora, ou deixará mais na cara sua estagnação e incapacidade.

Anote aí, 2 meses depois que Pokémon Legends tiver saído, a internet inteira estará “BDSP é como Pokémon deveria ser” e criticando a incapacidade do Legends de rodar, quem sabe até mesmo no hipotético novo Switch. O problema é o console? Não. Verifique DOOM Eternal. O problema da série de jogos principal é a Game Freak.


Observação: Este é um artigo opinativo enviado por um visitante, estes artigos podem ou não refletir total ou parcialmente a opinião de outros membros do site. Saiba como enviar textos clicando aqui!

em1


Deixe uma resposta

Pokémon Mythology